segunda-feira, janeiro 15, 2007

Guia

Escrever livro de auto-ajuda deve ser uma das tarefas mais fáceis do mundo contemporâneo. Existem, claro, inúmeros concorrentes, mas creio que o mercado é grande o bastante para absorver todas as besteiras que podem ser escritas. Afinal, se você jovem angustiado que busca uma orientação vocacional quer um conselho, anote este: por mais que o mundo mude, as pessoas nunca vão parar de comer nem de reclamar da vida.

A primeira coisa que você precisa para um bom texto de auto-ajuda é uma situação fora do normal. Pessoas em crise precisam de sonhos, de metas esdrúxulas, de desejos necessários para que elas entrem novamente nas engrenagens do capitalismo selvagem e continuem alimentando "tudo isso que está aí". Digamos, por exemplo, um fim-de-semana numa estação de esqui em algum ponto mal determinado dos Alpes franceses.

Adicione agora uma metáfora barata...Vamos lá, não é difícil, eu sei que você também consegue. Vou ajudar um pouco mais, vou dar um exemplo: "Uma velha lenda européia diz que durante um inverno rigoroso um garotinho queria muito sair de sua casa para brincar com seus amiguinhos mas a neve caída ao redor da cabana dificultava demais a empreitada. Por mais que ele tentasse, suas fracas perninhas acabavam ficando presas na neve fofa ou ele deslizava até cair sobre o duro gelo. Ele pediu então a seu pai que o carregasse no colo, mas este foi inflexível: 'se você quer algo, é você próprio quem tem que lutar para consegui-lo. Considere apenas que a solução de todo problema está contida nele mesmo.'

O garoto passou algum tempo meditando sobre as palavras de seu sábio progenitor sem sucesso quando viu uma telha se desprender do telhado por causa do forte vento. Ela caiu sobre uma pequena colina de neve e deslizou até a parte de baixo. Eureka! 'O que eu preciso é de um jeito de deslizar por aí com um pouquinho de controle, usar a peculiaridade da situação a meu favor', pensou ele, e assim foi inventado o esqui.

Costumamos encarar os problemas do lado errado. Um problema não é um muro impenetrável, é apenas uma porta que precisa da chave correta. Blá blá blá..."

O leitor interessado pode praticar a técnica usando como mote o mesmo cenário com a premissa "Se os outros conseguem, eu também faço".

Mas se alguém for realmente usar essa idéia, faça-o rápido porque o efeito estufa é bem pior do que pensávamos e as neves dos Alpes não vão durar mais muito tempo, acreditem em mim.

3 comentários:

Ju - critica disse...

Tá... vc tinha uma idéia boa e queria usar... mas no geral, o contexto foi fraco!!! He he he he

Bruno disse...

é verdade.

A irmã disse...

Ok ok... não precisa chorar!!! Vc tb escreve bem... :-)