sábado, junho 21, 2008

Preâmbulo: Depois de quase dois anos vivendo na Polytechnique, um belo dia alguém descobriu que havia um serviço de auxílio para deficientes vocais (existe esse termo politicamente correto? Enfim, para mudos) que precisavam telefonar para alguém. Bastava escrever a mensagem e enviá-la para um email X que um programa de computador se encarregava de identificar o idioma da mensagem e gravava uma mensagem na secretária eletrônica do destinatário com "leitura" do texto. Muito útil, por isso levamos tão pouco tempo para descobri-lo.

O sistema funcionava em francês, inglês e espanhol. Se não fosse identificada nenhuma dessas línguas, a máquina lia segundo a fonética do francês. Um gênio chamado Milouse (contando com a mui pequena colaboração deste escriba) conseguiu o impossível: fazer a máquina cantar.


8 comentários:

David disse...

Muy bueno :P
A ustedes y a nadie mas podria ocurrirsele...

Anônimo disse...

... alguém descobriu que havia um serviço de auxílio para deficientes vocais (existe esse termo politicamente correto? Enfim, para mudos

--- eu sou da opiniao (praticamente persuasao) que se tratava de um serviço de auxilio aos vietnamitas Que por um acaso conhecem a lingua escrita francesa melhor a os proprios franceses, mas oralmente!

milouse

Leandro Lameiro disse...

Haha, muito bom, além de ser a prova definitiva que vocês não tem nada pra fazer.

Mas vocês erraram a música.

"
Ele vai dar uma [sapatada, chinelada, ...] na barata dela. Ele vai dar uma [sapatada, chinelada, ...] na baraaaata dela.
"

Vocês esqueceram o "na barata dela".

De qualquer maneira foi genial, parabéns.

Bruno disse...

Não, Boleto, é o fim da música...eles não falam o "vai dar uma bombada na barata dela", só riem...

dmjb disse...

ping mensagem da mãe do Aion.

Bruno disse...

Désolé, essa se perdeu no tempo. Eu so salvei a da barata...

Arthur disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Arthur disse...

nao se perdeu nao.. eu ainda devo ter essa mensagem no meu email...