quinta-feira, maio 24, 2007

Certa vez disse à minha irmã que mulher nenhuma deveria se casar com centro-avante. É uma questão de princípios, não se pode confiar num cara que vive do momento fortuito, de uma grande sorte, de um lampejo. Além disso, não se pode tolerar a irresponsabilidade que tais indivíduos desenvolvem ao longo dos anos...

Como suas falhas raramente são repetidas, relembradas e principalmente ridicularizadas, eles simplesmente se acostumam a esquecer seus erros grosseiros, sempre haverá uma nova oportunidade para relançá-los à glória e à paixão absoluta.

Minha tese defendia, quem diria, que o companheiro ideal é o goleiro. Ele sabe, Atlas dos tempos modernos, que o mundo repousa em seus braços. Ele não pode errar. Ele vive no limite do perigo.



Pensando bem, minha tese não é lá tão boa assim. Afinal, nós trocamos os pés pelas mãos...

2 comentários:

A irmã disse...

Viu? Viu? Viu? Deixa eu ser feliz com meu 99!!! He he he he he he... Beijos....

Anônimo disse...

Se o goleiro naum for um frangueiro, mas um cara responsável e bom, do estilo "Rogério Ceni", pode até ser interessante... Quanto a trocar os pés pelas maos... bem, isso nao é de todo um problema... O fato pode ser amplamente explorado para criar posicoes novas...